Aqui as últimas matérias do meio tradicionalista...

 

 

 

25/08/2007

A BONECA DE PANO – BRUXINHA
 
      A boneca é seguramente, o mais antigo objeto de brinquedo que a humanidade conheceu. As primeiras bonecas encontradas em escavações eram de pedra, osso, madeira, toscas, esculpidas. e se membros. No início tinham a função, não só lúdica, mas também religiosa (louvações, rituais, cultos). Em muitos povos antigos, as crianças, quando morriam, as suas bonecas eram colocadas juntas ao sarcófago. As adultas ofereciam as bonecas aos deuses e, na idade do casamento, as bonecas eram consagradas a Vênus ou aos deuses da Fertilidade, para que posteriormente, suas proprietárias pudessem ter muitos filhos.

      Desde o início de sua existência as bonecas foram associadas ás meninas. Entretanto, sabe-se que muitos homens famosos também se distraiam com este brinquedo, como o Rei Luiz XV e o Imperador Asteca Montezuma.

      Quanto aos tipos e maneiras de sua fabricação, as bonecas sofreram alterações, conforme a época e material disponível. No século XIX, fabricavam-se bonecas com cabeças de porcelana, madeira, cera; pescoço móvel, corpo revestido com pele de cabra. Outras, com enchimento de serragem, tiveram muita popularidade, somente suplantadas no século XX pelas bonecas de celulóide e, depois, pelo plástico moldado, com olhos móveis e dispositivos para choro e voz.

      No Brasil, o índio, na época do descobrimento, já fazia bonecas de barro: “Licocós” e as dava aos Curumins.

      Depois de 1945, são fabricadas e copiadas dos modelos americanos: loiras e de olhos azuis.

      Os avanços tecnológicos e a modernidade também chegaram na realidade das bonecas que choram, se movem e falam.

      A sociedade em geral condicionou as crianças à predileção em relação aos brinquedos, dando uma boneca como primeiro presente à menina. O apego da criança ao objeto é um indício do instinto maternal.

      As bonecas de pano (bruxinhas) são brinquedos de criança confeccionados em casa, feitas de pano ou retalhos são conhecidos em todo o Brasil. Tradicionalmente, passam de geração à geração, confeccionados pelas avós ou mães, procurando transmitir, incentivar suas filhas a confeccionarem suas bruxinhas.

      A bruxinha é um excelente recurso para o professor desenvolver as atividades das séries iniciais: na fase de pré escrita, dando noções de organização familiar, funções da família, valores, identificação dos direitos e deveres, das partes do corpo humano, noções de higiene, educação alimentar e familiar.

      Brincando com sua boneca (bruxinha) a criança imagina e constrói um mundo particular, que na sua imaginação é como se fosse real: os personagens do cenário e objetos adquirem significados. Em grupo, desempenha diferentes papéis: o fazer-de-conta: brincar de mamãe e filhinha, comadre, batizado, festa de aniversário, fazer comidinha.

      No ato de brincar com a bruxinha ela transfere suas ansiedades, alegrias, sentimentos que são identificados na interação criança e boneca.

      Poderá ser aproveitada na fase da escrita e na formação das palavras x e ch, elaboração de frases e pequenos textos.

      Noções de tamanho, espessura, formação, forma, quantidade, qualidade, operações referentes ao material utilizado para fazer a bruxa.

      Para o desenvolvimento e aperfeiçoamento da motricidade: fazer pinturas, colagens, recortes e bruxinhas e confeccionar roupinhas.

      Brincando, ela aprende a hierarquia, o respeito, a organização, desenvolve a sociabilidade e a auto estima.

Como fazer uma Bruxinha

     1 - Para montar uma bruxinha, primeiro o corpo consiste em um quadrado cheio de trapinhos ou espuma. Depois, fazer quatro rolinhos de tecido, que vão formar as pernas e os braços se outro mais grosso que formará a cabeça.

     Após fazer todas as partes do corpo da bruxa, enfia-se um pedaço de pescoço no corpo e costura-se. Os olhos, nariz, boca, sobrancelhas e demais detalhes do rosto poderão ser pintados, bordados e, no final, veste-se a bruxinha.

     2 – Outra maneira de confeccionar: determina-se o tamanho do tronco, braços e da cabeça proporcionalmente; enrola-se o tecido de cada peça de maneira bem apertada, até atingir o diâmetro desejado dos braços, pernas, tronco e cabeça, procedendo em seguida uma costura para ficar bem firme. A cabeça é costurada por último, veste-se a bruxa com trajes da moda.

           

Fonte! Rede  118 de Valdemar Engroff  e Jornal Eco da Tradição – órgão oficial de divulgação do MTG/RS, edição de julho de 2007. Caderno Piá 21.

 

 

 


Você também pode publicar um artigo de sua autoria no Jornal Virtual Chasque Pampeano. Mande seu texto e/ou foto, Cliques aqui para enviar:CHASQUES

Volta para página inicial